14 outubro 2017

Perdoa

Perdoa
.
.
.
Perdoa se me deixei vergar
mas já me falta a convicção
de acreditar no pérfido amanhã
.
Perdoa se te vês só
mas antes isso que mal acompanhar-te
.
.
.
.Borealis in Aurora

Adormece



Adormece

.
.
.
Amanhã voltarás a ser semente
e logo pela madrugada germinarás
como se fosses uma flor
ansiando o primeiro raio de luz
.
Mostrarás a cor da tua graça
tons de inocência e rebeldia
complexidade de menina a crescer
que julga conhecer o mundo
.
Crescer será o mote diurno
até que se quebre a luz no horizonte
e de lá vem mansinha a promessa
de ires adormecer num sonho de pétalas
.
.
.
.Borealis in Aurora
.
.
.
.




Voar

.Voar
.
.
.
.
Meu doce golpe de asa
ainda agora eramos rasantes
na miragem de um sonho
do qual não queriamos acordar
.
Agora que dizes ter asas
será que podemos ir além
fugir deste aqui e agora
que nos obriga ao gentío
.
Leva-me para lá de mim
.
.
.
.Borealis in Aurora

01 outubro 2017

Norte

´.Norte
.
.
.
.
Perdemos pé
na imundice mundana
em que atolamos
convenientemente
.
Não houve tempo
para erguer a revolta
e fomos vergados
na impertinencia
.
Ficamos sem norte
sem vontade de ir
,
,
,
,
.Borealis in Aurora

A Sede

. A Sede
.
.
.
.
Já bebemos dessa água
quando era nossa toda a sede
e os rios iam dar ao mar
.
Já bebemos dessa água
sempre que nos fizemos ponte
e por lá era tudo sem fim
.
Já bebemos dessa água
onde mergulhamos a incerteza
procurando um amanhã eterno
.
Já bebemos dessa água
meu principio do fim
.
.
.
.Borealis in Aurora

Arquivo do blogue

Acerca de mim